Estudantes de Paraty acompanham mediação de leitura na Casa Flipeira

Categoria:

No dia 22 de maio de 2024 a cidade de Paraty festejou a abertura da nova sede da Casa Flipeira, localizada na Avenida José do Patrocínio, n° 93, na Ilha das Cobras. O espaço cultural é uma realização do Educativo Flip em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, conforme Termo de Colaboração nº 002/2023 – Processo nº 24.377/2023 firmado pela Prefeitura Municipal de Paraty e pela Associação Casa Azul em 22 de novembro de 2023.

Na data de abertura, a Escola Municipal Casa da Criança (Detran) foi convidada a levar estudantes do 3° ano para participar da mediação de leitura com Ana Carolina Silva, mediadora de leitura “Semente”. Ana Carolina escolheu a obra “Amor de Cabelo” (Editora Galerinha) – de Matthew A. Cherry, com ilustrações de Vashti Harrison e tradução de Nina Rizzi – e planejou a leitura com oficina artística especial para o evento.

A preparação teve início quase um mês antes, ainda no momento da curadoria, quando Ana Carolina conheceu o título e decidiu realizar uma pesquisa em outros espaços de leitura. “O livro despertou perguntas quando apresentado a meninas e levantou questões essenciais relacionadas à autoestima”, explicou Ana Carolina. Relatando percepções a respeito do próprio cabelo, as meninas que leram o livro surpreenderam a mediadora pelos sentimentos de mal-estar com a estética. “Então eu tive a ideia de criar o projeto com as bonequinhas, e pesquisando com minhas colegas ‘Sementes’ encontramos a lã, um material tão macio que fica parecido com o nosso cabelo”. Ana Carolina contou que a procura pelo material foi complexa, porque as opções que primeiro vieram à mente contradiziam a intenção da prática. “Tínhamos à disposição de imediato a palha, dura demais, o que reforçaria a inquietação com o cabelo. O EVA é flexível, mas com poucas possibilidades de molde. O barbante é frágil. E a lã não é uma escolha óbvia”, justificou.

A criatividade floresceu no processo de montar bonequinhas com esferas de isopor, palito de madeira e lãs coloridas. “O cabelo é a parte que mais amo no meu corpo, eu amo fazer arte com ele. Da cartografia da narrativa eu cheguei à cardiografia, pensando a metodologia das nossas mediações na Casa Flipeira”, declarou Ana Carolina. A inventografia frutificou em dezenas de bonecas graciosas nas mãos das crianças.

Acompanhando e participando das dinâmicas, Luís Filipe Pôrto, coordenador de conteúdo do Educativo Flip, enalteceu a intensidade do trabalho de mediador. “A mediação potencializa a experiência do público frente ao que mediamos, seja o livro, uma obra de arte, uma roda de conversa”, comentou Luís Filipe.

Na Casa Flipeira o público pode consultar os livros da curadoria participativa do Educativo Flip, conhecendo obras enviadas por editoras por meio da Chamada Aberta realizada desde o ano de 2021.

 

Casa Flipeira – Endereço

Av. José do Patrocínio, 93, Ilha das Cobras (na rua de acesso ao Cais de Pesca)

Horário de Funcionamento

Terça-feira é dia de Escola na Casa, quando recebemos estudantes de escolas públicas e particulares para atividades das 9h às 17h (agendamento prévio por e-mail: gilmara.rocha@flip.org.br)

O público em geral está convidado a acompanhar a programação de quarta a sexta-feira, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 14h.

Destaque – Mediadora “Semente” Ana Carolina Silva

Ana Carolina Silva

Ana Carolina Silva é mulher, negra, nascida no centro do Rio de Janeiro, turismóloga, mediadora de leitura, mediadora de mesa, contadora de histórias há 10 anos, tendo suas contações circulado principalmente no SESC Paraty e nas bibliotecas comunitárias da Rede Mar de Leitores de Paraty, onde atualmente faz parte da equipe de coordenação da Biblioteca Comunitária Colibri. Apaixonada pelo que faz, já atuou na coordenação de bibliotecas e instituições, na produção de saraus literários da Rede Mar de Leitores e outros eventos.

Reportagem: Débora Nobre Monteiro

Compartilhe esta notícia:

Ana Carolina Silva
Mediação de leitura na Casa Flipeira com Ana Carolina Silva, mediadora “Semente”