mesa 12 | Mata da Corda

Memória, trauma, raça, gênero, classe e pós-colonialismo são temas centrais esta artista, descendente de angolanos e são-tomenses, nascida em Portugal. Na mesa, oferece ao público uma reflexão sobre feminismo negro e a relação do racismo com a linguagem e a prática cotidianas, além da descolonização do pensamento praticada em suas performances, videoinstalações e leituras encenadas. […]

Leia mais…

mesa 13 | Vaza-Barris [O Irapiranga dos Tapuias]

Um porta-voz e pensador indígena e um diretor de teatro, ator e dramaturgo conversam sobre liberdade e “re-existência”: terras férteis para arte, valorização da cultura e convivência com a diversidade. Mesa sem necessidade de ingresso apoio: […]

Leia mais…

mesa 14 | Cansanção

A escritora e crítica brasileira, afastada da imprensa há mais de uma década, abre os trabalhos do sábado na Flip 2019. A autora fala de sua incessante produção literária que toca em questões de gênero, raça e condição social no Brasil, além de ler trechos de suas obras. Esta mesa conta com intérprete de libras. […]

Leia mais…

mesa 3 | Uauá

Nesta conversa, Adriana Calcanhotto, Guilherme Wisnik e Nuno Grande nos guiam por quatro universos que se cruzam: arquitetura, urbanismo, literatura e música. Os três artistas —envolvidos na exposição Infinito vão: 90 anos de arquitetura brasileira (Casa de Arquitetura, Porto, Portugal, 2018/2019) – se reencontram e recriam as experiências vivenciadas por lá. Mesa sem necessidade de […]

Leia mais…

mesa 8 | Zé Kleber/Cumbe

Um quadrinista paulistano, autor de obras sobre história e cultura afro-brasileira, ativista contra a escravidão e a marginalização nas cidades contemporâneas, se encontra com uma paratiense militante do Fórum de Comunidades Tradicionais, que reúne lideranças de Paraty, Angra e Ubatuba. Esta mesa conta com intérprete de libras. […]

Leia mais…

mesa 9 | Angico

Duas romancistas, vindas de dois lugares bastante diferentes – Nigéria e Israel –, encontram pontos de convergência ao conversar sobre a definição de família, a posição da mulher nas sociedades mais tradicionais e a criação de laços íntimos em meio a conflitos de ordem pública. […]

Leia mais…

mesa 10 | Tróia de Taipa

O historiador brasileiro, interessado em questões sobre nação, cidadania, justiça e liberdade, completa oitenta anos este ano e, nesta conversa, revela aspectos de sua carreira intelectual, com especial atenção à pesquisa sobre a revolta de Canudos e o exército brasileiro. […]

Leia mais…

mesa 11 | Jeremoabo

A escrita como maneira de trabalhar, ao mesmo tempo, questões subjetivas — relações familiares, luto e perda — e também a objetividade das realidades sociais em estado de tensão e degradação é o mote desta mesa. Nesse diálogo, reúnem-se dois estreantes no romance, uma venezuelana e um brasileiro, ambos influenciados por panoramas nacionais acirrados.   […]

Leia mais…

mesa 1 | Sessão de Abertura | Canudos

Uma das maiores críticas literárias brasileiras presenteia o público com uma combinação de aula sobre o Autor Homenageado e rememoração de uma brilhante trajetória intelectual que atravessa os últimos cinquenta anos. Trata-se de uma dupla homenagem: a Euclides da Cunha e a sua maior intérprete, Walnice Nogueira Galvão. apoio: […]

Leia mais…