Mónica Ojeda

A equatoriana Mónica Ojeda, um dos principais nomes da literatura de ficção latino-americana, fará parte do programa principal da 21ª Flip – Festa Literária Internacional de Paraty, que será realizada de 22 a 26 de novembro. A escritora confirmou participação e virá pela primeira vez ao Brasil. 

A autora é reconhecida por sua habilidade em criar narrativas intensas e perturbadoras que exploram aspectos sombrios da psicologia humana. Suas histórias frequentemente mergulham em temas como abuso, obsessão, decadência emocional, além de trazer a feminilidade em contextos complexos e desafiadores. Suas obras desafiam o leitor a tomar consciência sobre os pontos mais profundos da mente humana.  

Ao longo de sua carreira, Mónica Ojeda foi indicada e premiada em diferentes concursos literários. Sua escrita e sua abordagem única sobre temas delicados renderam-lhe reconhecimento dentro e fora do Equador.

Mónica é autora de Mandíbula, publicado em 2022 pela Autêntica Contemporânea; História do Leite pela editora Jabuticaba e ainda da coletânea de contos Voladoras, que acaba de entrar em pré-venda, com lançamento previsto para outubro no Brasil e será o livro do Flip-se Assinaturas de setembro e outubro, criado em parceria com a Dois Pontos. O clube é bimestral e inclui o envio de um livro com a curadoria da Flip Os assinantes recebem o livro em primeira mão.

Ojeda tem sido reconhecida por seu modo peculiar de narrar o horror. Os oito contos que compõem Voladoras partem da geografia avassaladora dos Andes equatorianos e abordam questões que passam pelas relações de amizade, de vizinhança e familiares em geral, atravessadas por elementos como a sexualidade, a violência, a dor, a vida e a morte, temas também explorados pela autora no romance anterior.

Mónica Ojeda nasceu em Guayaquil, no Equador, em 1988. Em 2017, esteve na lista Bogotá39, do Hay Festival, de melhores escritores de ficção latino-americanos com menos de 40 anos. Em 2019, recebeu o prêmio Prince Claus Next Generation, na Holanda. Em 2021, a revista Granta a indicou como uma das melhores autoras hispânicas com menos de 35 anos. Publicou livros de contos, poemas e três romances: “La desfiguración Silva”(Prêmio ALBA Narrativa, 2014), “Nefando” (Candaya, 2016) e “Mandíbula” (Autêntica Contemporânea, 2022.

 

Mesas: